Abiteboul garante que novo motor da Renault teve ganho de 0,3 segundo

Abiteboul

O diretor-geral da montadora francesa priorizou a confiabilidade como meta da fabricante na temporada de 2017 de Fórmula 1.

 

A Renault apresentou o seu RS17 nesta terça-feira (21). O bólido do time de Enstone foi lançado com uma pintura curiosa, em que misturou o tradicional amarelo-fosco com a cor negra que foi usada no RS16 na pré-temporada do ano passado. Durante a apresentação da nova máquina, Cyril Abiteboul aproveitou a oportunidade para comentar sobre os avanços da marca com o aperfeiçoamento do seu motor para a temporada de 2017. Segundo o diretor-geral é esperado que a unidade de força possa oferecer o ganho real de 0,3 segundo no tempo de volta do monoposto pilotado por Jolyon Palmer e Nico Hulkenberg.

“O que eu sei é que começamos do zero”, citou Abiteboul em entrevista para a revista britânica ‘Autosport’. “E isso foi algo bastante corajoso, pois tivemos um bom produto no ano passado. E isso foi algo muito decente, mas do que decente na verdade”, continuou.

Abiteboul revela que versão 2017 do motor da Renault teve ganho de 0,3 segundo

“Acho que ficamos surpresos com o termo de confiabilidade [da nossa unidade de força], pois, nós começamos do zero novamente”, destacou. “Claramente que se você não atacar na Fórmula 1, você está morto. Vimos que se fôssemos sérios sobre a nossa ambição de acompanhar e não ultrapassar, o melhor dessa classe é a Mercedes”, afirmou.

“Então, a primeira coisa em que iremos nos focar [neste ano] será a confiabilidade. Em termos de ganho de desempenho, estamos direcionados a obter 0,3 segundo em relação aos tempos de volta conquistados com o nosso motor na última temporada”, revelou.

Abiteboul também comentou sobre a decisão da Renault em não aumentar o nível de potência da sua unidade de força durante a temporada de 2017 de Fórmula 1. O diretor-geral da montadora francesa explicou que o novo regulamento técnico e esportivo da F1 vai priorizar o desenvolvimento aerodinâmico das máquinas e não o aperfeiçoamento da unidade de força.

“Nós pensamos em que poderíamos aumentar ainda mais o desempenho do nosso motor. Algo entre 0,3 a 0,4 segundo durante toda a temporada”, afirmou. “Mas, isso somente será possível se houver confiabilidade”, destacou.

“Então, optamos por desenvolver o nosso motor de forma mais conservador. Então, acho que iremos somente precisar de duas unidades de força, talvez três, neste ano. Iremos trabalhar desta forma para dá saltos maiores em 2018”.