Binotto analisa problemas técnicos ocorridos nos carros de Vettel e Raikkonen

Raikkonen

O diretor-técnico da Ferrari acredita que o sistema de refrigeração da unidade de força italiana não foi eficaz o bastante para combater o calor intenso existente no circuito de Sakhir.

 

Pode-se dizer que a Ferrari terminou a sexta-feira (14) de treinos livres para o GP do Bahrein com sentimentos bastante mistos. De um lado, temos a confiança expressada por Sebastian Vettel que conseguiu terminar a sessão como o mais veloz. O condutor alemão cravou 1min31s310 – 0s041 mais rápido do que a Mercedes de Valtteri Bottas que foi o segundo colocado na tabela de tempos.

Do outro, temos a frustração de Kimi Raikkonen, que encerrou o TL1 precocemente devido a problemas com superaquecimento na unidade de força do seu SF70H. No fim do dia, os engenheiros da Ferrari também descobriram problemas técnicos no carro de Vettel.

Binotto descreve problemas técnicos em que ocorreram nos carros da Ferrari nesta sexta-feira (14)

Após as sessões, Mattia Binotto analisou o que realmente aconteceu com os carros da Ferrari no intenso calor do circuito de Sakhir. O diretor-técnico acredita que o sistema de refrigeração do motor italiano não foi o suficiente para garantir a confiabilidade nos treinos livres bareinitas.

“Com Kimi [Raikkonen] tivemos uma questão relacionada com a unidade de força”, respondeu Binotto em entrevista para a revista britânica ‘Autosport’. “Nós mudamos algumas peças durante a tarde e tudo foi resolvido”, analisou. “Vamos investigar o que ocorreu, mas achamos que é algo relativo ao arrefecimento”, revelou.

“O que aconteceu ainda está em fase de compreendimento. Analisaremos as partes para tentar entender o que realmente pode ser feito para evitar novos problemas”, disse.

“Já no caso de Seb, não temos razões para ficar preocupados. Foi apenas um problema elétrico que foi resolvido. Não houve danificações”.