Bratches diz que críticas ao atual logo é positivo para a F1

O novo chefe comercial não desanima e acredita no êxito da nova cara da categoria

 

No pódio de Abu Dhabi, o Grupo Liberty Media resolveu revelar a nova identidade visual da Fórmula 1, depois de sentir que a antiga logo, usada nos últimos 23 anos, não se adequava a linguagem digital.

A mudança dividiu opiniões, mas grande parte do público e dos próprios condutores desaprovaram e sentem que o atual logo não é tão icônico quanto o da era Ecclestone. No YouTube por exemplo, a quantidade de fãs que deram “dislike” era o dobro sobre os que aprovaram a novidade no vídeo que revelou a nova marca.

Sean Bratches, chefe comercial da Fórmula 1, afirma que os proprietários estavam conscientes que a mudança mexeria com a emoção e o saudosismo dos fãs. Mas garante que o fato de que a discussão, de certa forma, é positiva. “Estas são mudanças difíceis, como é em qualquer marca corporativa, e na F1 você tem a paixão envolvida. As pessoas têm uma opinião e isso é bom, porque se importam. Vamos demonstrar ao mercado que essa marca irá sobreviver e prosperar.”

O novo visual foi apresentado no pódio de Yas Marina e divide o público.

O logo da categoria é apenas o primeiro passo para uma série de inovações que o grupo fará na próxima temporada. O planejado é apresentar uma nova plataforma digital, novos gráficos de TV e novos serviços de transmissão ao vivo para diferentes mercados.

Ellie Norman, diretora de marketing da Fórmula 1, acredita que com o passar do tempo, os fãs se acostumarão com a nova cara da modalidade. “Quanto mais usarmos isso, traremos vida a essa nova identidade, e acho que com o passar do tempo, os torcedores vão perceber isso.”