Carlos Sainz agradece por não ter estreado na F1 em 2014

Agora na Renault, o piloto disse que ter permanecido na base da Red Bull por mais 1 ano, o ajudou na carreira

 

Carlos Sainz conseguiu uma ótima performance na sua estreia com a Renault, no GP dos EUA. O condutor somou 6 pontos com o 7º lugar, uma posição inferior em comparação ao seu melhor resultado com a Toro Rosso em 2017.

O espanhol agradeceu ao chefe do time júnior da Red Bull, Helmut Marko, por todos os ensinamentos durante o tempo q esteve nos boxes dos taurinos, já que sem esse treinamento, sua carreira no momento poderia ter tomado outro rumo, como a de seu ex-companheiro, Daniil Kvyat.

O espanhol credita o atual sucesso na carreira ao ex-chefe, Helmut Marko.

O ex-colega de garagem da Toro Rosso, seguiu uma trajetória paralela desde o seus tempos de GP3. Mesmo chegando em 10º e somando pontos pela terceira vez nos 15 eventos que disputou em 2017, o russo foi deixado de fora da formação da STR para o próximo GP do México.

Em entrevista para o site oficial da categoria, Sainz falou sobre a escolha de Kvyat para assumir a vaga na Toro Rosso em 2014. Após a promoção de Daniel Ricciardo para a Red Bull, que resultou na sua permanência por mais uma temporada no World Series by Renault. Durante esse período, o espanhol pôde evoluir e disse que chegou bem ao nível profissional.

“Eu sou muito grato a Helmut Marko por ter escolhido Daniil no final de 2013. Porque isso criou muita raiva e fome em mim. Eu queria ser um piloto de F1 e queria ser bem sucedido. Mudou minha mentalidade, mudou meu modo de vida, mudou o meu ponto de vista das corridas e tudo o que me fez ser o piloto que sou hoje. Sempre vou agradecer por esse momento”. Revelou Carlos.

Outro a elogiar a evolução do piloto madrilenho foi o ex- condutor Juan Pablo Montoya.

Além de receber congratulações do chefe da equipe francesa, Cyril Abiteboul, o desempenho de Sainz no circuito das Américas também despertou a atenção de Juan Pablo Montoya, que não hesitou em elogiar a participação do espanhol.

“Fiquei particularmente impressionado com Carlos em Austin.  Sua estréia na Renault foi notável e conseguiu terminar com pontos”, disse o ex-motorista da Williams e McLaren.

 “Nunca é uma tarefa fácil escalar em um carro novo sem um teste de um quilômetro de antemão, mas Carlos conseguiu ser competitivo e não cometer erros no início. Ele é certamente um dos melhores drivers no quadro agora”, concluiu o colombiano.