Caterham pode ser vendida por US$ 65,5 milhões, diz jornal

Segundo

De acordo com a imprensa britânica, os credores da equipe verde devem pedir para a justiça penhorar a escuderia para pagar as dívidas de US$ 24 milhões (R$ 60 milhões).

 

A Caterham pode ser vendida pela pechincha de US$ 65,5 milhões (R$ 157 milhões). A informação foi divulgada pelo jornal britânico ‘The Daily Telegraph’. De acordo com o impresso, os credores do time verde devem pedir permissão para a justiça inglesa penhorar os bens da escuderia para pagar a dívida de US$ 24 milhões (R$ 60 milhões).

Segundo

Segundo jornal, a Caterham pode ser vendida pelo valor de US$ 65,5 milhões (R$ 157 milhões)

O jornal ainda afirmou que com o valor de US$ 65,5 milhões, o time poderia pagar as dívidas com os fornecedores e também os direitos trabalhistas dos seus 400 funcionários.

O artigo também desmembrou o faturamento da Caterham na temporada de 2014 de Fórmula 1. Segundo o jornal, o time verde teve o lucro com patrocinadores de somente US$ 4,8 milhões (equivalente a R$ 11,5 milhões).

Sobre os problemas financeiros da Caterham, eles chegaram ao seu ápice logo após o GP da Rússia, quando os seus credores conseguiu uma liminar que impedia dos seus carros saírem da fábrica de Leadfield até que fossem pagos as dívidas de US$ 24 milhões (R$ 60 milhões) referentes aos fornecedores da temporada de 2014.

Colin Kolles afirmou que está tentando negociar com os fornecedores da escuderia verde. Ele afirmou que a dívida é de responsabilidade da gestão anterior da equipe, que era comandada por Tony Fernandes. Já Fernandes garante que após o consórcio árabe-suíço ter assinado o contrato de compra da esquadra de Leadfield, os tributos foram transferidos para as mãos de Kolles.