Com empréstimo negado, organizadores de Nurburgring são investigados pela UE

A União Europeia negou o empréstimo de $ 13 milhões para os organizadores do GP da Alemanha, que agora são investigados pela acusação de fraudar o Banco ISB. Caso seja comprovada a acusação, Nurburgring poderá deixar a F1 na próxima temporada

Apesar de não ter sido totalmente afetada pela ‘Crise do Euro’, a economia alemã está sofrendo um pouco com a recessão em que os problemas financeiros estão causando em toda a Europa. Na manhã desta terça-feira (17), em o jornal ‘Rhein-Zeitung’ confirmou que o pedido de empréstimo dos organizadores do GP da Alemanha foi negado pela União Europeia (EU).

A União Europeia investiga os organizadores do GP da Alemanha por suspeita de desvio de verbas

Segundo o tabloide alemão, a UE negou o pedido de €$ 13 milhões – Aproximadamente R$ 32 milhões -, por conta das investigações entre a empresa responsável pela administração do Circuito de Nurburgring, a Nürburgring Automotive, e a Formula One Management (FOM), aos quais são acusados pelas autoridades de Nurburg de não comprovar os investimentos no autódromo.

O jornal ainda afirma que nos últimos anos, o Circuito de Nurburgring recebeu empréstimos no valor total de €$ 524 milhões, que ainda não foram devolvidos para os cofres públicos da União Europeia.

O Circuito de Nurburgring recebia o GP da Europa até 2007, quando por conta de fraudes cometidas contra o Banco ISB forçaram aos organizadores a se retirar do calendário da F1. Sabendo sobre esses problemas, que o presidente da FOM, Bernie Ecclestone sugeriu o revezamento com Hockenheim para o GP da Alemanha, que começou a valer desde 2008.