Comissão da União Europeia investiga contas da Spyker F1

União Europeia instaura

Segundo a imprensa britânica, existem indícios de fraudes financeiras cometidas pelos diretores da extinta escuderia na temporada de 2007.

 

A Spyker F1 participou apenas das temporadas de 2006 e 2007 na Fórmula 1. Devido a falta de patrocinadores e de recursos, o time comandado por Colin Kolles – ex-gestor da Caterham e Hispania Racing Team (HRT) – terminou vendido para empresários russos, que rebatizaram a equipe de Mindland F1, antes de chegar às mãos de Vijay Mallya, no campeonato de 2008.

União Europeia instaura

União Europeia instaura comissão para investigar contas da Spyker F1 nas temporadas de 2007 e 2008

De acordo com o jornal britânico ‘The Independent’, a União Europeia (UE) instaurou uma comissão para investigar as contas da extinta escuderia. Segundo o impresso, existem indícios que o time de Silverstone pode ter fraudado a quantia de €$ 106 milhões (R$ 359,5 milhões).

Entrevistado pelo jornal britânico, o CEO do Grupo Spyker Cars, detentora dos direitos comercias da Spyker F1, declarou que ficou surpreso com a criação da comissão da UE. “Criamos a empresa há 15 anos e não tínhamos certeza sobre isto. Eu recebi a intimação, mas estaremos abrindo todos os documentos para a comissão”, declarou.

“Isto não é o fim. As investigações devem começar em breve. Acredito que se houver alguma irregularidade talvez, isto será descoberto”, citou.

Atualmente a Spyker F1 se encontra considerada extinta da principal categoria do automobilismo mundial. A escuderia tinha planos de participar de outras séries como a DTM, o Mundial de Endurance (WEC) e a Fórmula Indy, a partir de 2018. Com a intervenção da UE, possivelmente, o jornal afirma que as metas do time britânico devem ser adiadas.