DTM, WEC ou Fórmula E são os prováveis destinos de Massa para 2017

Massa

Brasileiro anunciou que não vai mais correr na F1 a partir do próximo ano, mas que não vai abandonar o automobilismo sendo cotado na DTM, na WEC e na Fórmula E, além de descartar participação na Stock Car

 

Após anunciar, em Monza, que não vai mais correr na F1 a partir do próximo ano, Felipe Massa não esconde a vontade de integrar outra categoria do automobilismo. O brasileiro admitiu que está em contato com alguns representantes de outras categorias, mas que sua preferência é entre a DTM, WEC ou a Fórmula E.

Logo após decidir se aposentar, o nome de Felipe Massa foi associado à categoria brasileira de automobilismo, Stock Car, e, também, pela IndyCar, mas logo tratou de afastar falsos rumores a respeito de sua carreira, admitindo não querer voltar para o Brasil ou para América no momento.

“Não, eu não penso em Stock Car ou IndyCar. Provavelmente vou para DTM, WEC ou Fórmula E, mas tudo ainda está em aberto.

“Há algumas pessoas em contato comigo, mas, no momento, só preciso de um pouco de tempo para pensar melhor sobre minha decisão.

“Como eu falei, eu vou correr, só preciso encontrar a melhor escolha onde eu vá aproveitar e me divertir”, disse Massa.

Mesmo mais aliviado, Massa ainda precisa brigar por pontos no campeonato

Mesmo mais aliviado, Massa ainda precisa brigar por pontos no campeonato

Felipe ainda disse estar se sentindo aliviado por ter decidido seu futuro na F1, mas que ainda tem compromisso com a Williams na busca pela manutenção da  quarta posição no Mundial de Construtores, mostrando que o brasileiro, apesar de estar em um clima descontraído, ainda conta com uma certa pressão por bons resultados.

“Foi um alívio imediato depois que eu anunciei minha aposentadoria. Eu estou feliz com minha decisão e estou tentando aproveitar, me divertir nessas últimas sete corridas, claro que a diversão vai ser ainda melhor caso eu consiga bons resultados e é isso que venho procurando.

“Pressão sempre existe, mas acho que, no momento, está um pouco melhor, pois já decidi o que vou fazer no futuro. Talvez a pressão seja menor do que antes, mas não muda quando você está dentro do carro.

“Tento dar o meu melhor, não importa se vou correr na F1 no próximo ano ou não”, concluiu o brasileiro da Williams.