Ecclestone ataca o limite de gastos imposto pela Liberty

khgv

O ex-chefão da modalidade apresenta lucidez e não acredita nos benefícios gerados com a imposição do teto de gastos

 

Na Fórmula 1, a discussão sobre o nível de competitividade através do nivelamento de gastos ganha força. A determinação de um limite na quantidade de dinheiro que cada equipe pode investir durante a temporada tem o objetivo de equiparar a competição e dar ampla chance de vitória para as demais escuderias.

Enquanto a Liberty Media parece estar firme sobre a imposição da limitação orçamentária, Bernie Ecclestone, que era o chefe da modalidade até o início deste ano, não acredita que a medida possa alterar a ordem hierárquica da categoria. “A maioria das equipes que estão na parte de trás do grid, se houver um limite de orçamento, provavelmente não fariam melhor do que agora.”

Desde a saída, Bernie e a Liberty divergem no planejamento da Fórmula 1.

Para o britânico de 87 anos, os principais times planejarão formas de continuar a impor uma supremacia além de qualquer limite que possa ser implementado. “Mesmo se você colocar um limite na Mercedes, Ferrari e Red Bull, isso não faz diferença, eles vão fazer um trabalho muito melhor e encontrar maneiras de gastar o dinheiro, se estamos falando de realidade, não vai acontecer.”