Ecclestone classifica Watkins como “insubstituível”

O presidente da FOM também afirmou que a F1 não será a mesma sem Watkins

Ainda abalado pela morte do médico chefe da F1, Sid Watkins, o presidente da Formula One Management (FOM), Bernie Ecclestone, prestou entrevista nesta sexta-feira (14), para a revista britânica ‘Autosport’, no qual descreveu que a F1 teve uma grande perda. Ecclestone lembrou que Watkins foi o primeiro a resolver lutar para transformar a categoria mais importante do automobilismo como a  mais segura em relação aos outros esportes.

Ecclestone admitiu que a F1 perdeu muito com a morte de Watkins

“Tenho certeza que ele [Watkins] é insubstituível. O que Sid Watkins fez no caminho da segurança da F1 foi incrível. Ele deu toda a sua vida por essa causa, para se certificar de que ele poderia ser tão seguro quanto possivelmente poderia ser”, explicou Ecclestone.

O presidente da FOM ainda descreveu que quando ele convidou Watkins para a F1, em 1978, os dois passaram uma noite inteira discutido sobre melhorias de segurança e estruturas da F1.

“Só se conhece alguém com o calibre que Watkins tinha, somente uma vez na vida. Quando eu o convidei para a F1, passamos uma noite conversando sobre novos aspectos em termos de segurança e outras questões estruturais em que poderíamos melhorar as condições dos pilotos. Sid tinha muito dessas coisas, por exemplo, no acidente de Jochen Ridt e Ronnie Peterson, ele sugeriu a utilização da ambulância”, lembrou.