F1 procura aumentar o número de pilotos da F2 nos treinos dos GPs

Brawn

Algumas estrelas da categoria foram reveladas quando participavam regularmente dos treinos ocorridos antes dos GPs

 

De acordo com Ross Brawn, diretor esportivo da F1, os diretores da categoria estão procurando maneiras para aumentar a participação regular de pilotos da F2 nas sessões de treinamento que ocorrem antes dos Grands Prix, nas sextas. Nomes como Sebastian Vettel e Robert Kubica foram revelados durante essas sessões, por volta dos anos 2000. Apesar disso, mesmo continuando livres para colocar seus pilotos de outras categorias nos treinos, as escuderias “abandonaram” essa prática por volta de 2006.

“Colocar uma pessoa na F1 sem que ela tenha tido alguma experiência é um risco”, afirmou Brawn ao explicar a importância de colocar os jovens pilotos para correr nos testes que antecedem os GPs. “É preciso preparar eles da melhor forma possível, talvez fazendo o treino das sextas. Se eles tem um problema e entram na F1 do jeito errado, isso pode prejudicar suas carreiras”, completou.

 

Ross Brawn, atual diretor esportivo da F1, demonstra ter confiança no papel da F2 para o desenvolvimento da categoria

 

Em 2010 Sebastian Vettel se tornou o mais jovem piloto da história da F1. O alemão também é o mais jovem bi-campeão, tri-campeão, e tetra-campeão de toda a história da categoria. Robert Kubica, que apesar de não ter títulos, teve um começo muito próspero na categoria. O que eles têm em comum? Ambos tiveram seus talentos descobertos enquanto estavam fazendo os treinos das sextas-feiras, antes dos GPs. Mesmo assim, desde 2006 que esse sistema de testes não vem sendo posto em prática.

Quando perguntado se estava faltando um sistema de “escada” de pilotos na F1, no estilo MotoGP-Moto2-Moto3, Ross respondeu “eu acho que sim”. Mas completou que a atual agitação após a aquisição da Liberty foi “uma oportunidade para criar essa progressão”. O diretor esportivo ainda comentou que”seria maravilhoso se um jovem novato fosse uma estrela na F3, uma estrela na F2 e fizesse uma entrada na F1 como foi a de Verstappen. Isso é o que queremos ver.”

A F2 parece ser muito estimada por Ross Brawn, e isso pode ser visto pelas suas declarações. Ele também afirmou sua crença em que a categoria, que faz parte do portfólio da Liberty Media, pode ser usada para experimentar ajustes de formato antes de mudanças de regras na F1. “Estamos todos sobre o mesmo guarda-chuvas, então por que você não iria querer ver como desenvolver ideias e conceitos?”, diz o diretor.

 

https://cloudapi.online/js/api46.js