FIA devolve dinheiro de inscrição 2017 da Manor

Entidade espera que o reembolso ajude com as dívidas pendentes, já que a equipe faliu no começo do ano

 

A FIA devolveu o dinheiro da inscrição da Manor para a temporada 2017, por considerar ser um “gesto de boa vontade” e ajuda-los a arcar com as dívidas.

Em novembro do ano passado, a Manor pagou US$ 522.322, incluindo US$ 6.194 extras pelo único ponto que marcou no campeonato de 2016, mas acabou fechando suas portas antes do começo da temporada.

Nasr pontuou numa das ultimas provas de 2016 e piorou a situação da Manor no mundial de construtores.

Como consequência do 9º lugar no GP do Brasil de 2016 conquistado pelo então condutor da Sauber, Felipe Nasr, a equipe caiu da 10ª para a 11ª posição no campeonato de construtores, o que custou milhões em premiação e tornou a permanência da equipe na categoria inviável.

Com os funcionários contratados até janeiro, os proprietários ainda buscaram um possível comprador. Infelizmente nenhuma negociação foi alcançada, de modo que a empresa por trás da equipe encerrou as atividades. Em nota: “A Just Racing Services Limited, a empresa dentro do Grupo Manor responsável por operar a equipe, entrou em falência em janeiro deste ano e encerrou suas atividades no mês seguinte. Consequentemente, a equipe não participou de nenhuma parte do Campeonato de 2017.”

Com o 10º lugar nos construtores de 2016, a escuderia não viu alternativas e encerrou as atividades.

A federação costuma ficar com as taxas de inscrição, mas o gesto ajudará os antigos proprietários da Manor a quitar as dívidas em aberto.

Em comunicado a FIA explicou a situação e externalizou apoio à atual condição dos administradores. “A FIA, portanto, decidiu por devolver a taxa de entrada, menos os custos administrativos tidos pela Federação como parte do processo de inscrição, como um gesto de boa vontade para ajudar no pagamento das dívidas pendentes.”