Final de temporada pode ser de testes para Force India

Fernley

Com o quarto lugar no mundial de construtores garantidos, escuderia pode testar componentes mais arriscados nas duas últimas corridas da temporada

Com a quinta e a sétima colocação garantida por Esteban Ococ e Sergio Pérez, respectivamente, no GP do México, a Force India faturou o quarto lugar no Mundial de Construtores. Com o objetivo da temporada concluído com duas corridas de antecedência, a escuderia pode usar o GP do Brasil e o GP de Abhu Dhabi para testarem componentes mais arriscados em termos de confiabilidade, visando 2018.

“É uma grande conquista para a equipe. Mas agora o que precisamos fazer é utilizar isso a nosso favor. Então, nós vamos pensar de forma diferente nas próximas duas corridas e faremos experimentos ou coisas de maneira diferente que ajudarão no próximo ano em detrimento deste ano porque este ano não importa mais”, disse o chefe de operações da Force India, Otmar Szafnauer.

Com a tranquilidade de ver sua equipe atingir a meta, Otmar sabe que a hora de errar é agora. “Vamosplanejar para as próximas duas corridas e talvez [haja] alguns componentes que queremos experimentar, que são um pouco mais arriscados”, disse.

Force India atinge a meta de 2017 antes do término da temporada

Esse é o segundo ano consecutivo que a escuderia consegue o quarto lugar no mundial de construtores. Mas a marca que chamou atenção não foi a posição que a equipe garantiu, mas sim, a consistência que ela demonstrou ter durante o campeonato: das 18 corridas disputadas até o momento, os dois carros rosas pontuaram juntos em 15. Mas para manter o ritmo e tentar o terceiro ano consecutivo ocupando o quarto lugar no mundial de construtores, a Force India deve melhorar as atualizações e chegar mais competitiva no início da próxima temporada, é o que alerta seu chefe adjunto.

“No início da temporada, tivemos os pilotos e a confiabilidade para garantir que nos posicionássemos bem, mas sabendo que não teríamos o ritmo definitivo. Durante a temporada, não conseguimos as melhorias que gostaríamos de ter, mas na perna asiática, as atualizações que colocamos funcionaram. Isso nos deu o quarto melhor chassi, além de ser o quarto melhor time”, explicou Bob Fernley, chefe adjunto da equipe.

Com as constantes melhorias no chassi da McLaren e as demonstrações do que um motor Renault pode fazer, a temporada de 2018 promete ser mais competitiva para a Force India. Além da equipe de Woking, brigarão contra os carros rosas equipes como a Williams, a Toro Rosso e a própria Renault.