Funcionários da HRT estão sem receber desde junho, afirma tabloide

Segundo a imprensa espanhola, as dívidas da Hispania já ultrapassam $ 60 milhões

Na semana passada, os acionistas do grupo Thesan Capital admitiram que estavam negociando a venda da Hispania Racing Team (HRT). Nesta quarta-feira (14), o jornal espanhol ‘Marca’ revelou através de artigo, que os funcionários do time espanhol estão sem receber a cinco meses. O impresso catalão ainda afirmou que a divida da equipe já ultrapassa os €$ 60 milhões.

De acordo com o 'Marca', as dívidas da HRT já ultrapassam mais de 60 milhões de Euros

“O espanto e desconforto dos membros da HRT ao chegarem em Austin foi muito visível. A equipe espanhola está com os salários atrasados desde junho e também está sofrendo com uma crise de confiabilidade com o carro, que apresentou problemas nos  freios na India e na direção em Abu Dhabi. Segundo fontes da própria equipe, esses problemas foram motivados por conta das dívidas da Hispania, que já ultrapassam 60 milhões de Euros”, afirmou o jornal em artigo intitulado ‘O valor e as dívidas da HRT’.

De acordo com o jornal ‘Marca’, a Hispania ainda está correndo atrás de investidores que possam investir no mínimo €$ 10 milhões para conseguir deixar a equipe pronta para assinar o Pacto de Concórdia, apresentado pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

“Com as grandes dívidas do time espanhol, o seu futuro na F1 ficou totalmente obscuro. A questão de eles terem colocado a equipe à venda é porque precisam de €$ 10 milhões a mais no seu orçamento para que eles possam assinar com o Pacto de Concórdia de Ecclestone”, especulou o impresso.

Sobre o valor de venda da Hispania, o jornal ‘Marca’ creditou a importância de €$ 65 milhões, que podem ser pagos no máximo três grupos de investidores. Ainda nesta quarta-feira (14), outro jornal catalão, ‘Ás’, afirmou que a venda da HRT estaria em €$ 40 milhões.

“Não se tem certeza sobre o preço de venda dos direitos comerciais da equipe, mas estipula-se que possa chegar aos €$ 65 milhões. De qualquer forma, agora também é duvidoso o futuro dos investimento de €$ 400 milhões que o Grupo Thesan Capital prometeu para desenvolver o carro da próxima temporada”, encerrou.