Green critica protestos ocorridos contra sistema de suspensões por parte das equipes de ponta

Green

Para o diretor-técnico do time de Silverstone, a briga no regulamento entre Mercedes, Red Bull Racing e Ferrari pode ofuscar o desenvolvimento na temporada de 2017.

 

A Force India apresentou o seu VJM10 nesta quarta-feira (22). A máquina do time de Silverstone apresentou bico novo e alguns detalhes em que faz referência ao carro anterior usado no campeonato de 2016. E aproveitando a oportunidade, o diretor-técnico da escuderia indiana, Andy Green, criticou o posicionamento da Ferrari, Mercedes e Red Bull Racing (RBR) diante da brecha criada no regulamento para o sistema de suspensão. A questão ainda está em aberto, pois a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) prometeu somente se posicionar após a primeira fase da pré-temporada.

Green acredita que o volume de protestos apresentados pelas equipes de ponta pode, enfim, limitar o desenvolvimento aerodinâmico no setor de suspensão na temporada de 2017 de Fórmula 1. “Cada um tem os seus méritos”, citou o diretor-técnico em entrevista para a revista britânica ‘Autosport’.

Green expressa preocupação com briga pelo modelo de suspensão na Fórmula 1

“Nós vamos ficar atrás e vê como essa situação se desenvolve. Em seguida, vamos ver como poderemos nos aproveitar disso. E elaborar o desenvolvimento da nossa suspensão de acordo com o que for decidido pela FIA”, afirmou.

“Até agora, testamos diferentes conceitos de suspensões. Nós realmente queremos ver como os novos pneus devem se comportar. E para isso, temos que logo pensar numa solução mecânica”, destacou. “Não podemos ter todas as opções prontas esperando. Dependendo do que for decidido [pela FIA], nós temos que esperar”, complementou.

Além do limite do desenvolvimento da suspensão, Green destacou que outras brechas devem aparecer no novo regulamento técnico e esportivo da F1 durante o campeonato de 2017. E para isso, o diretor-técnico afirmou que a Force India gostaria de contar com mais clareza por parte da FIA.

“É eu gostaria de contar com mais clareza. Não somente para a questão da suspensão. Mas, também, para os próximos questionamentos que podem aparecer no grid”, afirmou. “Eu não acho que esconder detalhes sobre questões aerodinâmicas seja algo bom para o show. Os fãs mesmo precisam de explicações para entender como as coisas funcionam”, continuou.

“Eu gostaria de ver tudo isso cortado agora. E ter a permissão de desenvolver o nosso carro da melhor forma possível. Sem a interferência de rivais”.