“Jules era o irmão mais novo que eu sempre sonhei ter”, lamenta Nicolas Todt

Nicolas Todt (direita)

O dono da ARTGP afirmou que está totalmente “destruído” após ter recebido a notícia sobre o falecimento do piloto francês.

 

Bastante comovido pelo anúncio do falecimento de Jules Bianchi, ocorrido na sexta-feira passada (17), o dono da equipe de GP2, a ART GP, Nicolas Todt, lamentou pela perda do seu amigo e ex-companheiro de trabalho. Em entrevista para a revista italiana ‘Omnicorse’, Todt afirmou que sempre considerou o ex-condutor da Marussia como alguém da família.

 

Nicolas Todt (direita)

Nicolas Todt (direita) lamenta pelo falecimento de Bianchi (esquerda) ocorrido na sexta-feira passada (17)

“Jules [Bianchi] era o irmão mais novo que eu sempre sonhei em ter”, respondeu. “Nós tínhamos uma grande diferença de idade. Mas apesar disto, eu vou sentir a tua falta”, complementou.

Jules Bianchi faleceu em decorrência aos problemas neurológicos em que estava enfrentando após o grave acidente ocorrido no GP do Japão de 2014. No episódio, Bianchi perdeu o controle do seu MR02 da Marussia quando passou por um trecho em aquaplanagem. Com isso, a sua máquina saiu da pista e se chocou com a traseira do guindaste que rebocava a Sauber de Adrian Sutil.

Por conta do forte impacto, o piloto francês sofreu uma lesão axonal difusa no lado esquerdo da sua cabeça. Para evitar mais danos cerebrais, os médicos o induziram ao estado vegetativo. Na semana passada, o seu pai Phillipe Bianchi deu entrevista para uma emissora de rádio afirmando que a família estava perdendo as esperanças, visto que Bianchi não respondia aos estímulos para despertar do coma.