Mais novidades na F1 em 2014 | Race - O melhor conteúdo automobilístico

Mais novidades na F1 em 2014

Alonso admitiu que carro não foi competitivo hojeAlonso admitiu que carro não foi competitivo hoje

Além de ter seu tempo aumentado, durante a TL1 equipes poderão efetuar trocas entre os pilotos.

 

A temporada 2014 da F1 promete ser repleta de novidades. A “última” foi decidida durante o GP de Cingapura. Após diversas reuniões entre os representantes das 11 equipes, ficou decidido que no próximo ano, o primeiro treino livre terá um acréscimo em seu tempo. O que antes girava em 90 minutos, agora, terá 120 minutos de duração.

A partir de 2014, primeiro treino livre terá duração de duas horas

A partir de 2014, primeiro treino livre terá duração de duas horas

Com esse aumento no tempo destinado a TL1, a Pirelli disponibilizará um jogo extra de pneus. Que só poderá ser utilizado nos primeiros 30 minutos. Além disso, as equipes poderão efetuar a troca dos pilotos durante todo o primeiro treino. Uma chance para os  novatos.

Porém, Ross Brawn sinalizou negativamente algumas dessas mudanças. Para o dirigente, fazer a troca de pilotos durante a TL1 não terá validade na Mercedes.

“Eu acho que nós ainda ficaremos com nossos pilotos titulares. Uma das principais mudanças é um jogo extra de pneus para os primeiros 30 minutos, o que eu acho que é uma boa jogada, e a possibilidade de trocar pilotos durante a sessão, o que, na verdade, não é fácil”, disse.

Segundo Brawn, a esquadra alemã não pode abdicar de ter pilotos titulares na pista. “Se você tem pilotos muito diferentes não é uma coisa tão fácil. É factível, mas não é algo que estamos considerando, porque precisamos de todo o tempo de pista com nossos dois pilotos titulares e todo o tempo em que eles puderem ficar no carro”, acrescentou.

Outro que seguiu a mesma linha de pensamento foi o chefe da McLaren, Martin Whitmarsh. Para o mandatário, esse tipo de recurso pode acabar prejudicando os times menores que formam o grid.

“Acho que do ponto de vista da McLaren, não é algo que necessariamente queremos fazer. Posso entender a visão de alguns, já que é muito difícil para pilotos jovens, há muito poucos testes e é uma forma de incentivá-los. Mas, estranhamente, acho que isso vai jogar contra as equipes menores”, pontuou Martin.