Marko faz nova ameaça sobre possibilidade de Red Bull deixar Fórmula 1 após campeonato de 2020

Marko

Segundo o consultor taurino, se o novo regulamento de motor não for atrativo para o time de Milton Keynes, provavelmente a escuderia não continuará no grid da F1.

 

Não é nenhuma novidade. No mês passado, Helmut Marko tinha informado que a permanência da Red Bull Racing (RBR) no grid da Fórmula 1 não estava assegurada. O consultor taurino afirmou que tudo dependeria da introdução de fabricantes independentes de motores, que é uma das questões que está em análise no novo regulamento que deverá ser colocado em prática após o fim do Pacto de Concórdia, em 2020.

Nesta quarta-feira (17), Marko voltou a fazer novas ameaças sobre a possibilidade da Red Bull sair da F1. O consultor taurino afirmou que a equipe de Milton Keynes defende a possibilidade de introdução de motores independentes na categoria para assim diminuir os custos gerados e a importância política nas parcerias com atuais montadoras.

Marko faz nova ameaça sobre Red Bull deixar a Fórmula 1 depois do campeonato de 2020

“É essencial que o novo motor seja acessível para todos”, afirmou Marko em entrevista para o jornal espanhol ‘El Confidencial’. “Se estas condições não forem cumpridas, a Red Bull poderá deixar a F1. Há dois anos, a Mercedes tinha recusado nos fornecer motores. A Ferrari também”, relembrou.

“A Renault somente nos motorizou porque Ecclestone pediu-lhes que fizesse isso. Queremos que o uso dos motores independentes possa diminuir a influência em que temos com as atuais montadoras”, complementou.

Marko ainda deu pistas como a Red Bull sonha na configuração da unidade de força independente para a Fórmula 1. “A situação é muito simples: queremos um motor de 1000 HP, com sistema de recuperação de energia e bateria padronizadas”, explicou.

“E o mais importante, que o custo de desenvolvimento esteja na margem entre 15-20 milhões de Euros [R$ 52,5 a 70 milhões]”.