Mercedes e Renault pregam cautela sobre desenvolvimento do novo motor da temporada de 2021

Mercedes e Renault

Segundo os dirigentes, a forma de aperfeiçoamento poderá abrir uma corrida armamentista entre as montadoras da Fórmula 1.

 

O novo regulamento de motor para a temporada de 2021 poderá gerar uma corrida armamentista entre as montadoras da Fórmula 1. Essa foi a opinião apresentada pela Mercedes e Renault nesta quarta-feira (1º), quando comentaram sobre a aprovação das novas regras, ocorridas em assembleia com o Conselho Mundial da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) na terça-feira passada (31).

Para Cyril Abiteboul, as montadoras devem ter cautela sobre o desenvolvimento do novo motor. “Apesar do que a FOM e a FIA escolheram, nós temos um novo propulsor”, respondeu o dirigente da Renault em entrevista para a revista britânica ‘Motorsport’.

Mercedes e Renault se posicionaram sobre o impacto do novo regulamento de motores na F1

“É um novo motor e com muitos truques. Mas é um novo motor. Realmente para mim, o elemento é mais fundamental. Precisamos ser exatamente cautelosos com este novo regulamento, pois ele irá criar um novo produto. Vai abrir uma corrida armamentista envolvendo todas montadoras da F1”, opinou.

Toto Wolff também concordou com as opiniões de Abiteboul. O chefe de equipe da Mercedes elogiou o novo regulamento e as diretrizes estratégicas apresentadas pelas novas regras. “É um motor totalmente novo e com diversos caminhos para o seu desenvolvimento tático”, respondeu.

“Todos nós aceitamos as novas regras. Mas devemos lembrar que o corte de custos é algo que precisa ser abordado no desenvolvimento deste novo motor. Não podemos fugir a este conceito que deverá ser abordado paralelamente nos próximos três anos”.