Michael espera mais eficiência das asas traseiras móveis

O diretor técnico da Williams, Sam Michael, acredita que as asas traseiras móveis deverão ter mais influência na Malásia do que foi na Austrália.

A asa traseira móvel no circuito de Albert Park não teve o rendimento esperado, gerando muitas dúvidas se o recurso tem alguma eficácia.

“Sepang é dominado por duas combinações de curvas de alta velocidade, assim uma série de curvas de baixa velocidade”, disse Michael. “Há três longas retas em Sepang, o set-up é orientado para as seções de alta velocidade, assim a eficiência será bem recompensada. Esperamos que a asa traseira móvel tenha uma maior influência sobre a ultrapassagem aqui, ainda mais que na Austrália.”

O diretor técnico também afirmou que a Williams vem com um pacote de atualizações para Malásia. O desempenho da Austrália não foi bom, a equipe acabou não conseguindo pontos, mas o objetivo de Michael e da escuderia é recuperar os pontos perdidos em Melbourne.

“Temos algumas atualizações aerodinâmicas e na parte frontal do FW33 que estaremos trazendo para a Malásia, teremos algumas melhorias sobre o KERS, juntamente com soluções para os problemas de transmissão que vivemos em Melbourne. Será interessante ver como o FW33 se comporta nesse circuito de alta velocidade. Nossa meta para a corrida é terminar com os dois carros pontuando.”