Pirelli está investigando estouro de pneus dianteiros ocorridos no GP da Inglaterra

Vettel

Segundo Mario Isola, ainda é cedo para se ter certeza sobre o ocorrido. No entanto, o ponto positivo é que os carros deste ano estavam cinco segundos mais velozes do que as máquinas de 2016.

 

O estouro dos pneus dianteiros foi algo que marcou o GP da Inglaterra, corrida esta ocorrida no domingo passado (16), no circuito de Silverstone. E quem sofreu com esta fatalidade foi Sebastian Vettel, que perdeu o pódio da prova britânica de F1 devido à explosão do pneumático frontal esquerdo do seu caro. Kimi Raikkonen e Max Verstappen também tiveram problemas com os compostos.

Nesta segunda-feira (17), o diretor-geral da Pirelli, Mario Isola, analisou os casos de estouros ocorridos com os pneus dianteiros durante GP da Inglaterra. Isola destacou que o problema está sob investigação.

Isola descreveu que estouros de pneus no GP da Inglaterra estão sob investigação

“O GP da Inglaterra continha uma picada de cauda para os dois pilotos da Ferrari”, respondeu. “Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen ambos, infelizmente, sofreram com uma questão envolvendo os pneus dianteiros”, descreveu. “E isso foi uma pena. Obviamente vamos analisar o que realmente aconteceu com a equipe”, complementou.

Isola também destacou uma boa notícia. Os carros da temporada de 2017 de F1 estiveram cinco segundos mais velozes se comparados com as máquinas que foram usadas em 2016. “A corrida foi executada a um ritmo incrível”, respondeu. “Os tempos de volta estavam extremamente velozes. Os carros deste ano estavam cinco segundos mais rápidos se comparados com os de 2016”.