Pirelli estuda possibilidade de desenvolver novo tipo de pneu para temporada de 2018 de F1

Pirelli

Segundo Mario Isola, a nova variante do composto PZERO será intermediário entre os pneumáticos médios e duro. A questão deverá ser resolvida até o GP de Abu Dhabi.

 

A Pirelli está estudando a possibilidade de adicionar mais um tipo de pneu na sua gama de pneumáticos para a temporada de 2018 de Fórmula 1. A novidade foi contada nesta quinta-feira (3) pelo diretor-geral da empresa de Milão, Mario Isola. Segundo Isola, o novo composto estaria no nível entre o médio (PZERO Branco) e o duro (PZERO Laranja). A decisão de incluí-lo ou não no próximo ano ainda está em aberto.

“Dependendo dos resultados, vamos decidir o número de compostos que iremos ter para o próximo ano”, afirmou Isola para a revista britânica ‘Autosport’. “Minha opinião é ir até seis [tipos de pneumáticos]. O que é possível”, declarou.

Pirelli estuda possibilidade de desenvolver novo tipo de conjunto de pneus para a Fórmula 1

“Mas se eu olhar para o regulamento, o número de compostos é a nossa proposta para a FIA. E geralmente, a FIA aceita porque não há muito motivo para recusar”, justificou. “Na verdade, homologamos 10 tipos de compostos, dos quais, cinco são básicos e cinco são reservas. Destes um poderá se tornar básico”, argumentou.

“Então, não precisamos da opinião das equipes sobre este acordo. Em Abu Dhabi, depois da corrida, iremos contar com dois dias de testes. Então iremos analisar este novo produto. Todas as equipes devem testá-lo e comparar o seu nível de aderência”, confirmou.

“Então, no final de novembro, vamos estar prontos para homologar o novo produto como pneu da gama que será disponível no campeonato de 2018”, encerrou.

Questionado se o novo produto será fácil manuseio por parte dos pilotos, Isola destacou que os problemas ocorridos com os pneus duros (PZERO Laranja) devem ser resolvidos em breve. “Agora temos dados provenientes de cada fim de semana de corrida. E isso é importante para trabalhar com os pneus”, continuou.

“Então estamos construindo uma nova direção, novas ideias, novo perfil. Não será uma revolução como neste ano. Porque achamos que temos um bom produto”.