Por “pensar diferente”, Brawn diz que não poderia trabalhar com Ecclestone na F1

Brawn (D) diz que não trabalharia com Ecclestone (E)

Dirigente destacou o bom trabalho de Ecclestone à frente da F1, mas afirmou que tem um pensamento oposto em termos de gestão.

 

Novo diretor-esportivo da Fórmula 1, Ross Brawn afirmou que não poderia trabalhar ao lado de Bernie Ecclestone no comando da principal categoria do automobilismo mundial. Segundo o dirigente, o seu pensamento sobre a gestão do esporte é completamente diferente do ex-chefão da categoria, o que tornaria inviável os dois trabalharem lado a lado.

Brawn assumiu o comando esportivo da Fórmula 1 depois que a Liberty Media passou a ser a dona da categoria e decidiu tirar imediatamente as rédeas das mãos de Ecclestone. Mas o ex-comandante não deixou totalmente o esporte e assumiu um papel de presidente emérito da F1.

Brawn (D) diz que não trabalharia com Ecclestone (E)

Há poucos meses no cargo, Brawn falou sobre o seu pensamento de gestão e comparou com a forma como Bernie comandava o esporte. E segundo ele, as visões são completamente opostas, o que impediria ambos de trabalharem juntos. “Eu não poderia trabalhar com Bernie”, disse.

“Não que fosse impossível, mas Bernie sempre fez as coisas a seu modo ao longo dos anos e de forma eficiente. Mas jamais vi Bernie ter parceiros sérios, certamente não em termos de administrar o negócio. Ele teve pessoas que o ajudaram em alguns aspectos do negócio, mas não tenho certeza se a minha visão de como as coisas devem ser iria necessariamente acompanhar a visão de dele”, explicou.

“Ele sempre foi muito hábil em abordagens reativas, mas eu sou o oposto. Prefiro ter uma abordagem mais planejada e de longo prazo. Tem até uma frase famosa de Bernie sobre isso: ‘Não planeje nada a longo prazo, porque você não sabe o que vai encontrar quando chegar lá’. Acho que é um pouco disso”, finalizou.