Revista revela segredo que fez Hamilton não conseguir passar Sainz Jr em Melbourne

Revista analisa

De acordo com a imprensa italiana, a Toro Rosso utilizou um novo Duto-S no bico do seu STR11. Com isso, o motor V6 Turbo da Ferrari ganhou mais potência nas longas retas da pista de Albert Park.

 

Uma cena chamou muita a atenção dos leigos que estavam acompanhando o GP da Austrália do domingo passado (20). Após largar muito mal, no circuito de Melbourne, Lewis Hamilton caiu para a sétima posição e lutava novamente para retornar à ponta. Em um certo momento, o piloto da Mercedes ficou atrás da Scuderia Toro Rosso (STR) de Carlos Sainz Jr. Aborrecido, Hamilton esbravejou via rádio: “Não consigo ultrapassá-lo”.

Revista analisa

Revista analisa ‘Duto-S’ da Toro Rosso que dificultou a vida de Hamilton no GP da Austrália

A tensão do piloto da Mercedes durou até o momento das bandeiras vermelhas aparecem devido ao espetacular acidente envolvendo a McLaren-Honda de Fernando Alonso e Haas F1 Team de Esteban Gutiérrez. Subitamente, ao parar no grid, Hamilton foi até a Toro Rosso de Sainz Jr e ficou analisando o STR11 para entender o que realmente aconteceu dentro da pista de Melbourne.

Nesta terça-feira (22), a revista italiana ‘Omnicorse’ analisou o que poderia ter motivado esta cena durante o GP da Austrália. Segundo a publicação, o STR11 da Toro Rosso conseguiu se manter à frente da Mercedes de Hamilton devido ao recurso ‘Duto-S’ instalado no bico da máquina de Faenza.

Com a nova entrada do ar secreta aos olhos dos espectadores, o motor V6 Turbo da Ferrari instalado no STR11 ganha mais poder de arrefecimento. Com isso, a unidade de força italiana consegue mais confiabilidade e potência, especialmente me linha reta.

A revista ainda destacou que o ‘Duto-S’ instalado no bico do STR11 foi desenhado e desenvolvido por James Key. O diretor-técnico do time de Faenza preparou a nova entrada de ar sob consultoria de Adrian Newey.

Revista

Na imagem acima, pode-se ver a entrada do ar que é captado no limite com a pista e resfriado antes de alcançar o motor V6 Turbo. A sua saída, segundo a publicação, deve ocorrer junto com os gases quentes da turbina Turbo pelo sistema de escape.