Turvey descreve clima pesado existente nos bastidores da McLaren-Honda

O piloto britânico afirmou que todos estavam frustrados por conta dos problemas técnicos ocorridos no primeiro dia dos testes pós-GP do Bahrein no circuito de Sakhir.

 

O clima dentro da McLaren-Honda é de desmotivação e frustração. Essa foi a opinião apresentada por Oliver Turvey que participou do primeiro dia de testes pós-GP do Bahrein ocorrido na terça-feira passada (18). O condutor britânico afirmou que ficou impressionado com a visibilidade dos rostos abatidos dos mecânicos e engenheiros do time de Woking. Tudo por conta da falta de confiabilidade dos motores híbridos Honda.

“Após a minha chegada na garagem da McLaren no Bahrein, senti que a frustração era palpável”, revelou Turvey em entrevista para a revista britânica ‘RACER’. “Este foi o meu oitavo teste em que realizo com a McLaren. E sei que toda a equipe está trabalhando duro para encontrar uma forma de sair dessa má fase!”, destacou.

Turvey descreve que clima interno da McLaren-Honda está bastante pesado

“Continuamos trabalhando e pensando nas coisas positivas em que podemos ter. Temos que continuar seguindo em frente, lado a lado. Permanecer otimistas. Agora irei voltar ao simulador em Woking e trabalhar meu desempenho. Nós obviamente sabemos que a terça-feira passada foi frustrante”, complementou.

Questionado sobre a possibilidade de brigar por uma vaga na Fórmula 1, Turvey revelou que possui essas pretensões. Mas que ele começará se movendo para tentar conquistar seu assento para temporada de 2019. “Para mim, acho que em dois anos posso entrar na F1”, respondeu.

“Ainda preciso melhorar meu desempenho. E tentar encontrar um volante para mim. Eu tenho realizado testes com a McLaren, mas não temos nada certo quanto a isso no futuro. Eu estou contente com o meu desempenho. Meus sentimentos foram ótimos com o MCL32”.