Vandoorne descreve frustração de não ter largado no último GP do Bahrein

Vandoorne descreve como foi seu fim de semana no GP do Bahrein

O condutor belga lamentou pela falta de confiabilidade do MCL32. E ainda desejo sorte para Fernando Alonso nas 500 Milhas de Indianápolis.

 

Stoffel Vandoorne descreveu seus sentimentos diante o último GP do Bahrein, corrida esta realizada no domingo passado (16), no circuito de Sakhir. Por conta de problemas de confiabilidade, o condutor belga não largou na última prova finalizada no calendário de 2017 de F1. Tal situação o gerou bastante frustração durante a etapa bareinita.

“O GP do Bahrein não foi um fim de semana fácil para mim”, argumentou. “Acho que o mesmo deve valer para a McLaren-Honda também. Na véspera do fim de semana, eu estava motivado, pois tinha a lembrança dos pontos conquistados no ano passado no circuito de Sakhir”, admitiu.

Vandoorne descreve como foi seu fim de semana no GP do Bahrein

“E neste ano, tivemos uma situação bem diferente, pois tudo mudou. No TL1, consegui completar uma boa simulação de corridas. Mas foi a partir daí que a unidade de força começou a apresentar problemas. Primeiro, ela bloqueou o nosso trabalho nos fazendo perder tempo”, declarou.

“Eu sabia que a sessão do TL2 poderia ser bem mais produtiva, pois ela era a única e mais importante oportunidade em que tínhamos para configurar o carro”, continuou. “A equipe assegurou que eu tinha acesso na unidade de força, dei algumas voltas e encontramos novo problema”, descreveu. “Resolvemos algumas questões e nos preparamos para a qualificação”, disse.

“Considerando as circunstâncias, acho que essa foi a melhor qualificação em que eu já tive na F1. Melhoramos no Q2 e éramos dois décimos mais rápidos do que o esperado. No entanto, alguns problemas no arrefecimento dos freios não me permitiram tirar 100% do carro. Pena que não pude decolar”, lamentou.

“Após uma qualificação forte em termos de consistência, o nosso carro não correspondeu a sua confiabilidade e apresentou problemas elétricos. A equipe decidiu não ir para pista. E isso gerou uma mistura de sentimentos estranhos”, complementou.

Vandoorne descreveu a frustração de não largar por conta dos problemas técnicos do motor Honda

Vandoorne também comentou sobre a decisão de Fernando Alonso em disputar as 500 Milhas de Indianápolis. O condutor belga desejou boa sorte para seu companheiro de equipe na McLaren-Honda.

“Estou compartilhando essa difícil situação com Fernando [Alonso]”, afirmou. “E acho que essa oportunidade na Fórmula Indy foi uma grande notícia tanto para Fernando como também para a McLaren-Honda. Desejo-lhe sorte, pois será um desafio diferente que poderá impressioná-lo”, concluiu.

Por fim, Vandoorne comentou sobre suas perspectivas para o GP da Rússia, corrida esta agendada para acontecer no dia 30 de abril, no circuito de Sochi. “A F1 estará de volta daqui a duas semanas e o nosso objetivo é tirar o máximo do nosso carro na etapa russa”, respondeu.

“Eu gosto muito do circuito de Sochi. Espero que seja um fim de semana difícil. Mas que iremos ter a chance de continuar os nossos progressos com a nossa máquina”.