Wehrlein defende propostas de proteção para o cockpit: “Segurança nunca é suficiente”

Wolff

Alemão discorda da opinião de companheiros de pista de que a Fórmula 1 já possui formas eficientes para oferecer segurança

 

Pascal Wehrlein passou por um grande susto no GP de Mônaco quando seu carro capotou e permaneceu virado na barreira de proteção. Apesar de ter feito exames e não ter sofrido nada grave, o piloto da Sauber destacou a importância da busca por um sistema de segurança eficiente na Fórmula 1. Apesar de não ter testado o ‘Shield’, o condutor de 22 anos apontou que, em sua opinião, ele esteticamente parece ser mais funcional que o ‘Halo’. Ele destacou, no entanto, que ainda é muito cedo para definir qual o melhor.

O piloto da Sauber comentou ainda as expectativas que a equipe tem para se manter na luta entre os dez primeiros na segunda metade da temporada. Apesar de se manter otimista, Wehrlein destacou que vai ser difícil para a Sauber pela necessidade de se ter uma grande atualização no motor.

Wehrlein apoia propostas de segurança na F1

“Eu não testei o ‘Shield’, apenas o ‘Halo’. Eu acredito que, do ponto de vista estético, o escudo parece melhor. Mas não sei como essa proteção vai impactar nas máquinas mais eficientes com vontade. Eu acho que é muito cedo para falar sobre algo específico”, afirmou.

Questionado sobre a opinião de alguns pilotos de que hoje em dia a F1 não precisa de uma proteção adicional de segurança, o condutor respondeu: “Eu acredito que segurança nunca é suficiente. Eu discordo totalmente dessa opinião.”

A respeito do futuro da temporada, Wehrlein destacou que será difícil para a Sauber encarar as grandes equipes que se mantém entre as dez melhores no campeonato. “A fim de se qualificar, você deve ir para a qualificação final e, para que isso seja possível, é preciso atualizar seriamente a máquina. Para a Sauber será um grande passo”, concluiu.