Wolff confirma que Mercedes terá “plano B” caso passe por situação como aposentadoria de Rosberg

F

O chefe de equipe afirmou que a alternativa pode evitar a possibilidade da escuderia ser pega de surpresa caso um dos seus condutores desejem se aposentar ou deixar o time.

 

A Mercedes deverá contar com “plano B” caso um dos seus condutores optem por se aposentar ou mesmo sair da escuderia. Essa novidade foi confidenciada nesta quinta-feira (24) pelo chefe de equipe, Toto Wolff. Segundo o dirigente, a esquadra de Brackley não deseja ser pega de surpresa novamente, assim como aconteceu quando Nico Rosberg decidiu optar pela aposentadoria.

“Certamente há um componente que na F1 você precisa ter uma solução de retorno, um plano B”, afirmou Wolff para a revista britânica ‘Autosport’. “Mesmo ter um contrato não significa necessariamente que tudo será como se fosse. Poderia haver uma mudança de circunstâncias”, detalhou.

Wolff comentou que Mercedes deverá contar com “plano B” para escolher futuros pilotos

“O que temos agora é um plano A, e então, obviamente, há várias peças possíveis depois, porque o mercado do motorista muda muito em 2018 e 2019. É importante considerar os planos B e C”, complementou.

Questionado sobre quem seria o “plano B” da atual Mercedes, Wolff procurou despistar o nome do piloto. “Acho que esta resposta é bastante complexa”, disse.

“Há muitas possibilidades em que um motorista pode acabar”, continuou. “Certamente, pelo menos, um monte de pilotos são capazes que se apresentariam em uma Mercedes. Então, você deve considerar todos os cenários”, observou.

Por fim, Wolff comentou sobre a situação de Pascal Wehrlein na Sauber. O chefe de equipe classificou o acordo com o time de Hinwil como “bastante difícil”.

Wolff (foto) também comentou sobre negociação entre Wehrlein e Sauber

“O acordo foi muito difícil”, disse. “É mais fácil resolver problemas que você viu, mas o Nico [Rosberg] saiu do nada, no momento em que a maioria dos pilotos já tinha contratos para o ano seguinte. Não foi fácil”, destacou.

“Nós sabíamos que nós tínhamos Pascal [Wehrlein] como uma possibilidade, mas ele provavelmente é muito novo. E isso teria o risco de queimá-lo em um carro que é capaz de vencer corridas contra o melhor motorista do grid [Lewis Hamilton]”.