Candidatos a Pepe da Fórmula-1

Por Rafael Ligeiro @rljornalista

Com 405 gols em 750 jogos, José Macia, ou simplesmente Pepe, é o segundo maior artilheiro da história do Santos Futebol Clube. À frente dele, lógico, Pelé – com 1088 gols. Contudo, o Canhão da Vila jamais “aceitou” o segundo lugar na lista de goleadores. Proclama-se sempre como o maior artilheiro do clube paulista. Por um simples motivo: segundo ele, Pelé não é do Planeta Terra. “Acho que ele veio de Saturno”, alega.

Esse cenário é bastante semelhante ao da Fórmula-1 em 2011. Longe de comparar Pelé ao agora bicampeão Sebastian Vettel. Mas, de fato, o rendimento do alemão nessa temporada é algo digno de “outro planeta”. Foram 12 pole positions, nove vitórias e 14 pódios em 15 Grandes Prêmios. Nada menos que 86,4% da pontuação máxima no período. Por sinal, em instante algum do ano, Sebastian teve o posto de favorito ao título contestado por qualquer adversário.

Hamilton, Alonso, Webber, Button e Vettel, considerados os melhores pilotos da atual temporada

Diante de tal desempenho de Vettel – fruto não apenas de seu talento, mas também do excelente Red Bull RB7 que tem em mãos, o vice-campeonato da atual temporada representa o mesmo que a vice-artilharia de Pepe: o máximo que dava para conseguir. O “campeão entre os normais”, basicamente.

Faltam quatro etapas para o encerramento do campeonato 2011. E quatro pilotos estão na disputa pelo segundo lugar na classificação do Mundial: Jenson Button (210 pontos), Fernando Alonso (202), Mark Webber (194) e Lewis Hamilton (178).

Desse quarteto, Button é a aposta mais segura. Com três primeiros lugares, é o segundo piloto que mais venceu em 2011. Está em um período ascendente. Somou nada menos 101 dos 125 pontos das últimas cinco provas. Após nove anos pouco prolíferos em equipes intermediárias – e um no qual faturou um surpreendente título pela meteórica Brawn GP, o inglês literalmente se encontrou na McLaren.

Sim… É bem verdade que o piloto natural de Frome está longe de se encaixar naquele tipo que dá espetáculos durante as provas, com manobras impressionantes e ultrapassagens mirabolantes. Não. Contudo, Button erra pouco. E tem uma pilotagem suave, algo que lhe permite poupar equipamento e dá à McLaren a chance de apostar em estratégias de corrida diferenciadas.  Em dois dos GPs mais conturbados da temporada, nos circuitos de Montreal e Hungaroring, o inglês venceu.

O grande adversário de Button pelo vice de 2011 tende a ser Mark Webber. É bem verdade que a fase do australiano parece não credenciar-lhe a tal conquista. Diferente de 2010, não emplacou com frequentes grandes corridas. Foi um mero coadjuvante do companheiro de Red Bull, Sebastian Vettel. Aliás, é o único dos postulantes ao segundo posto no campeonato que não venceu. No entanto, com o título definido em favor de Vettel, não seria absurdo algum afirmar que a equipe austríaca deve agora concentrar esforços para buscar o vice do Mundial de Pilotos para Webber. E, apesar da vantagem à McLaren não ser tão grande quanto ao início da temporada, a Red Bull ainda é dona do carro mais competitivo da Fórmula-1 atual.

Por fim, Fernando Alonso e Lewis Hamilton são, nessa ordem, os azarões na briga pelo vice-campeonato de 2011. Embora sejam pilotos de talento inquestionável, que mereciam sempre protagonizar disputa por títulos, ambos passam por momentos complicados. Alonso sofre com o Ferrari F150th Italia, que, em poucos instantes no ano, mostrou-se capaz de fazer frente à Red Bull e, até mesmo, à McLaren, ao longo dessa temporada. O espanhol tirou leite de pedra na maioria dos Grandes Prêmios. Já Hamilton continua muito rápido e agressivo, duas de suas principais virtudes desde a estreia na categoria, em 2007. Mas erra demais durante as corridas.

Entender o porque do momento conturbado do campeão de 2008 não é algo complicado. Em apenas dois de seus cinco anos de F-1, Lewis não esteve envolvido na disputa pelo título. Além disso, é superado constantemente pelo companheiro de McLaren, o compatriota Button. Diante desses contras, o inglês busca compensar tais desvantagens com uma pilotagem ainda mais agressiva, algo que o deixa mais vulnerável a deslizes. E que costuma render strikes em alguns adversários – Felipe Massa que o diga!

Tudo bem. É claro que o vice-campeonato pode parecer pouco a qualquer um dos quatro pilotos envolvidos nessa disputa. Mas quem faturá-lo poderá “plagear” o craque Pepe e proclamar-se campeão de 2011. E, porque não, afirmar que Vettel veio de Saturno.