Abiteboul dispara: “Magnussen me decepcionou”

Abiteboul acredita que ainda há o que melhorar na Renault

O diretor-geral da Renault afirmou que a renovação de contrato do condutor dinamarquês estava assegurada. Mas, por conta da falta de competitividade do RS16, Kevin Magnussen resolveu ir para Haas F1 Team para ter uma máquina mais competitiva.

 

Kevin Magnussen contará com novas perspectivas na Haas F1 Team para a temporada de 2017 de Fórmula 1. O condutor dinamarquês é o recém-contratado pela escuderia americana, onde deverá substituir Esteban Gutiérrez no próximo campeonato. Recentemente, Magnussen comparou o trabalho da Haas com suas ex-equipes, Renault e McLaren. Ele realizou diversas críticas e afirmou que se arrependeu por não ter disputado o calendário do ano passado pela esquadra de Kannapolis.

Tais declarações não agradaram em nada Cyril Abiteboul. Nesta quarta-feira (11), o diretor-geral da Renault criticou seriamente a postura de Magnussen. Segundo Abiteboul, o piloto dinamarquês abandonou a escuderia de Enstone, que já tinha decidido pela sua renovação de contrato para a temporada de 2017.

Abiteboul

Abiteboul (foto) critica Magnussen por ter deixado Renault após temporada de 2016 de F1

“Tivemos muitos GPs onde Palmer e Magnussen mostraram que mereciam continuar na equipe”, descreveu Abiteboul em entrevista para a revista francesa ‘Auto Hebdo’.

“É verdade que esperávamos melhor desempenho dos nossos pilotos [no campeonato de 2016]. Mas podemos deduzir que eles poderiam ser ainda melhores em 2017. Por isso, tínhamos decidido em continuar trabalhando com eles, apesar das opções no mercado”, continuou.

“Magnussen me decepcionou. Não por conta da sua performance, mas sim pelo seu comportamento”, explicou. “Ele tem talento real. Mas não é disciplinado o suficiente para se comprometer com a equipe. Por isso, ele diz essas desculpas”, complementou.

Questionado sobre o que levou Magnussen a migrar da Renault para a Haas, Abiteboul acredita que o condutor dinamarquês estava frustrado com o desempenho do RS16. E por conta disso, ele optou pela mudança com a esperança de obter uma máquina mais competitiva.

“No entanto, Magnussen estava progredindo neste ano. Ele conseguiu a maioria dos nossos pontos no campeonato. Mas, o nosso desenvolvimento ficou estagnada por conta do foco que estava voltado para o carro de 2017. Acho que isso deve ter influenciado na sua decisão”.