Dupla da Renault comenta sobre suas perspectivas para GP de Mônaco

Palmer prometeu tentar entender onde ele precisa melhorar antes da próxima corrida no Mônaco.

Nico Hulkenberg e Jolyon Palmer afirmaram que esperam conseguir bom resultado com Rs17 na lendária pista do principado.

 

Os pilotos da Renault comentaram sobre suas perspectivas para o GP de Mônaco, corrida esta agendada para acontecer em 28 de maio, no circuito de Monte Carlo. O primeiro a dialogar sobre a etapa do principado foi Nico Hulkenberg. Nesta sexta-feira (19), o condutor alemão destacou características da pista monegasca.

“Não há uma pista como Mônaco. Ela é o destaque do ano”, opinou Hulkenberg. “É o único layout onde é especial em diversos aspectos”, continuou. “É provavelmente o GP mais glamoroso da temporada”, argumentou.

Hulkenberg descreve emoção em correr no circuito de Monte Carlo

“Fisicamente, este circuito não é tão exigente. Mas você tem que se concentrar ao máximo possível. Nós temos muitas curvas de baixa velocidade. Não é uma pista de alto nível de Força G. Mas, qualquer erro cometido, você pode parar na parede. Ultrapassar é difícil. Mesmo assim, considera esta como uma das corridas mais emocionantes do ano”, comentou.

“Acredito que a pista deverá nos adequar. Especialmente ao que nos referimos com os pneus supermacio e ultramacio. No ano passado, eu executei bem por lá. O meu carro teve ritmo e harmonia. E me senti confortável por algumas voltas. Então espero que possamos ter outro desempenho forte”, complementou.

Jolyon Palmer também deu a sua opinião sobre o GP de Mônaco. “É uma corrida bastante divertida. E não há nada no calendário como o circuito de Monte Carlo”, argumentou.

“A atmosfera é algo incrível, pois é muito glamoroso. É um fim de semana especial que eu tanto amo. Mônaco é um lugar fresco, onde a brisa do mar bate em nós que estamos com a adrenalina correndo na nossa corrente sanguínea”, comparou.

Palmer relembra pole position e acidente vividos no circuito de Monte Carlo

“É difícil pegar fôlego nos 75 segundos que é uma volta em Monte Carlo. Mas, lembro que eu já senti o gosto amargo de ame acidentar em Mônaco. Aconteceu no ponto de frenagem da curva em Saint Devore. Então o desafio é que é preciso ter precisão. Pois caso contrário, iremos parar na parede”, argumentou.

“Lembro-me que conquistei a minha primeira pole position em Mônaco. Aconteceu quando eu estava na GP2 em 2014. Mas agora as coisas são bem diferentes. Esse ano vai ser difícil por conta dos novos carros. E essa é uma corrida que é considerada como a mentalmente mais dura do ano”.