Ecclestone diz que regulamento de 2017 deverá diminuir importância da tecnologia híbrida na F1

Ecclestone

O presidente da Formula One Management voltou a criticar o motor V6 Turbo. E ainda levantou dúvidas sobre a possibilidade da Red Bull Racing em bater a Mercedes no próximo campeonato.

 

Para Bernie Ecclestone, o novo regulamento técnico e esportivo da Fórmula 1 para a temporada de 2017 pode diminuir a influência da tecnologia híbrida das unidades de força no desenvolvimento dos carros. O presidente da Formula One Management (FOM) destacou a necessidade das equipes investirem cada vez mais na aerodinâmica para conseguir vantagens significativas no próximo campeonato.

Ecclestone ainda voltou a criticar a introdução dos motores híbridos, que foi ocorrida no campeonato de 2014. O chefão da F1 voltou a dizer que deseja ver o fim da ‘Nova Era Turbo’ e ainda culpou a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) pelos problemas financeiros apresentados na principal categoria do esporte a motor.

Ecclestone

Ecclestone prevê possibilidade dos motores híbridos deixarem a Fórmula 1

“Continuo convencido de que as regras [da temporada de 2017] irá mudar a F1”, respondeu Ecclestone em entrevista para a revista alemã ‘Sport Bild’. “Nós fazemos parte de um esporte de entretenimento. Precisamos ser atrativos para garantir a atenção do nosso público”, destacou. “Os fãs precisam entender o que acontece na pista”, continuou.

“Na minha opinião, os motores híbridos devem desaparecer. E isso é somente uma questão de tempo. As novas regras estão focadas no desenvolvimento aerodinâmico dos carros. Logo, a evolução das unidades de força ficará estagnada”, explicou.

“Acho que Jean [Todt] não deveria ter apostado nestes motores. É claro que eles devem ser levados para os carros convencionais. Mas as pessoas querem algo especial na F1. Elas desejam motores mais barulhentos e potentes, junto com os melhores pilotos do mundo que possam dominar estas máquinas”, complementou.

Por fim, Ecclestone deu a sua opinião sobre o possível roteiro para a temporada de 2017 de Fórmula 1. O presidente da FOM não acredita na possibilidade da Red Bull Racing (RBR) bater a Mercedes no próximo campeonato.

“A Red Bull está convencida que pode bater a Mercedes”, citou. “Eles estão apostando nisso, pois possuem a melhor aerodinâmica”, destacou. “Mas, neste momento, a Mercedes possui a vantagem. Ela tem o melhor motor. E foi isso que justificou a mudança nas regras da F1. Para mim, isso não é assunto. Exceto que espero ver os motores híbridos desaparecerem”.