“Ferrari foi melhor do que Mercedes na pista”, opina Sirotkin

Sirtokin

O condutor reserva da Renault acredita que o time de Maranello diminuiu a lacuna existente com a escuderia alemã. E pode ser o “azarão” do campeonato de 2017 de Fórmula 1.

 

A Ferrari possui todos os elementos para surpreender a Mercedes na temporada de 2017 de Fórmula 1. Essa foi a opinião dada por Sergey Sirotkin nesta segunda-feira (20). Para o condutor reserva da Renault, o time de Maranello mostrou que possui mais carro do que a escuderia alemã durante os oito dias de testes da pré-temporada ocorridos no início deste mês no circuito da Catalunha, em Barcelona, Espanha.

“A Ferrari foi melhor do que a Mercedes na pista”, cravou Sirotkin em entrevista para a revista italiana ‘Motorsport.it’. “O que devo dizer é que a Ferrari foi mais rápidas em pontos onde é necessário ter mais tração”, explicou.

Sirtokin acredita que SF70H da Ferrari é bem mais rápido do que o W08 da Mercedes

“E isso mostra que o SF70H possui melhor equilíbrio em setores como chassi e motor. Já o W08 da Mercedes se destaca por causa da sua aceleração. É nesse ponto que o carro de Maranello ainda precisa melhorar”, opinou.

“Apesar disso, se você analisar o número de voltas executadas entre as duas equipes, você vai entender que o carro da Ferrari foi o que teve melhor desempenho em setores como área de frenagem, tração das curvas, menor nível de desgaste dos pneus e maior quantidade de aderência dentro da pista”, declarou.

“O resultado disso é que o carro vermelho possui uma única deficiência que é a sua aceleração. O resto dos setores que compõem uma volta, a máquina da Ferrari mostrar ter desempenho até melhor do que a da Mercedes”, complementou.

O condutor russo também comentou sobre o desempenho apresentado pelos carros da Red Bull Racing (RBR), Williams e Force India. “Para ser honesto, eu acho difícil falar sobre o RB13, pois ele passou muito pouco tempo em pista durante os testes de inverno”, citou.

Sirotkin ainda opinou sobre diferença de potencial da Red Bull, Williams e Force India

“Dito isso, acho que o comportamento do chassi do RB13 é bastante parecido com o da Mercedes. Ele possui o comportamento constante em diversos pontos. E por outro lado, nas áreas de curvas acentuadas, onde o carro precisa de mais tração, o bólido responde como se fosse uma Ferrari”, comparou.

“A velocidade do RB13 em curva é considerada alta. E acho que até pode ser maior do que o W08 da Mercedes em certos pontos do circuito da Catalunha. Mas, o desgaste dos pneus foi maior se comparado com Mercedes e Ferrari”, analisou.

“No que se refere a motor, a Red Bull possui uma unidade de força de menor potência do que a da Ferrari e da Mercedes. E isso é algo óbvio”, declarou.

“Sobre a Force India, o carro deles nos parecem ser muito forte. Eu gostaria de destacar uma característica especial, mas o chassi deles é muito sólido. Não notei nenhum problema grave com o nível de degradação dos pneus. Mas vi que a geometria do sistema de suspensão e da carroceria mostra que eles apostam em peças que menor pressão aerodinâmica”, justificou.

“Posso dizer a mesma coisa com a Williams. O carro de Grove parece ser um pouco estável nas curvas. Eles possuem um pouco mais de degradação dos pneus. Mas, a máquina parece ser mais rápida do que a da Force India”.