Fórmula 1 tem “sorte” de evitar ataque cibernético até agora

Especialista em tecnologia e informática afirma que a categoria vem sendo “agraciada” por evitar um ataque de ransomware grave.

 

O Ransomware é um software malicioso que paralisa um computador e exige pagamento para desbloquear a máquina. O ataque de WannaCry e o ataque de Petya, visaram uma série de empresas europeias, infectarando milhares de computadores este ano.

Inegavelmente é uma indústria em expansão com valor anual de aproximadamente US $ 5 bilhões para hackers e cibercriminosos. Grupos sofisticados oferecem programas disponíveis, em troca de uma parcela dos lucros, para quem pretender lançar um ataque. No ano passado, a Acronis se uniu a Toro Rosso, reforçando-a em diversas áreas, incluindo na distribuição segura de arquivos e no backup de dados.

John Zanni, presidente da empresa, destaca a adoção do sistema Acronis Access Advance pelo cliente italiano, que gerencia o compartilhamento de arquivos com a base em Faenza e com seus parceiros. “A F1 tem sido afortunada até agora. Espero que a sorte continue e torne nosso futuro ainda mais seguro… Não tem acontecido muito e equipes como o Toro Rosso são bastante seguras – porque são sérias sobre como gerenciam e protegem suas TI.”

Zanni previne as equipes da F1 e pede mais precaução na área de TI.

Uma das principais preocupações é pelo fato da F1 não considerar o crime cibernético como uma ameaça. “Eles não estão preocupados com os hackers externos, nem que pessoas entrem e tenham um ato disruptivo. Mas eu suspeito que alguém realmente inteligente, provavelmente poderia descobrir como fazer.” E complementou: “Essa é a única coisa em que sinto que estão um pouco atrasados. Perguntei a algumas pessoas na F1 sobre isso e eles disseram: ‘Por que alguém nos atacaria? Nós só queremos garantir que nossos concorrentes não vejam nossos dados.”

Zanni teme que os ataques de ransomware sejam mais frequentes, porque o software é de alta qualidade e está disponível para diversas pessoas. “O Ransomware como um serviço já existe, então, se quiser executar seu próprio negócio de franquia de rede, você pode. Para mim, é assustador como essas pessoas pensaram em ir ao mercado com seus vírus, elas não estão apenas tentando obter aleatoriamente o maior número possível de computadores”, e finalizou dizendo que infelizmente, acredita que a recorrência dos ataques, assim como a prevalência, serão cada vez maiores.