Motor da Mercedes atinge patamar nunca visto na era dos híbridos

Segundo revista, Mercedes pode substituir motor de Hamilton para o GP da Rússia

No teste dinâmico, o motor da equipe atingiu uma eficiência de 50%

 

Dona do motor mais eficiente da F1, a Mercedes acaba de quebrar, pela primeira vez na história, a barreira de eficiência de 50%, dando mais uma prova dos avanços que vem fazendo na sua unidade de potência.  “Em outras palavras, o motor agora produz mais energia do que gasta,  um marco notável para um híbrido”, escreveu a equipe em seu site.

“Três anos e meio depois de fazer sua estréia, a unidade de potência da F1 da Mercedes-AMG agora atingiu uma eficiência de conversão de 50% durante o teste dinâmico em Brixworth. Em comparação a 2014, a potência de saída é 104 cavalos maior usando a mesma quantidade de combustível”, anuncia, em tom de orgulho, a Mercedes em seu site oficial de F1.

 

Taxa de eficiência é prova do investimento da Mercedes

Durante a era V8, os motores alcançavam uma eficiência de aproximadamente 29%, enquanto a última vez que vimos essa performance foi durante a era V10. Quando os motores híbridos da Mercedes chegaram na F1, sua taxa de eficiência era de 44%, o que demonstra que a fabricante alemã só vem melhorando sua unidade de potência desde então.

A marca atingida pelo motor de F1 da Mercedes agora também faz parte das melhores unidades de potência do mundo, na categoria combustão interna. Sua eficiência térmica está próxima da atingida por motores à diesel usados em grandes navios de contêineres, os quais chegam a 60% de eficiência.