“Olhando Alonso é claro que tenho certeza que ele é um dos melhores pilotos que eu já vi”, elogia Gil de Ferran

Alonso

O ex-condutor brasileiro admitiu estar surpreso com melhora desempenho do bicampeão mundial na sua preparação na Andretti Autosport para Indy 500.

 

Gil de Ferran não poupou elogios para Fernando Alonso nesta sexta-feira (19). O ex-condutor brasileiro e treinador do piloto espanhol afirmou que está bastante impressionado com a forma de trabalho de Alonso na sua preparação pela Andretti Autosport para Indy 500.

“Olhando Alonso é claro que tenho certeza que ele é um dos melhores pilotos que eu já vi”, revelou De Ferran em entrevista para a revista britânica ‘Motorsport’.

De Ferran elogiou Alonso e o chamou de melhor piloto que ele já viu correr no automobilismo

“Ele é muito bom para se posicionar na primeira volta, por exemplo, é por isso que você muitas vezes pode vê-lo explorar diversas áreas da pista ainda na primeira volta”, continuou.

“Ele sabe o que está acontecendo. E também sabe o caminho certo em que precisa se seguir”, destacou. “Eu não quero aumentar ou diminuir nossas expectativas. Basta apenas dizer que Alonso é um corredor muito bom. E tão bom quanto qualquer um que eu conheço. Ele está enfrentando o desafio da Indy 500 como veterano, apesar de ser apenas um mero novato”, complementou.

De Ferran ainda comentou sobre as recentes declarações dadas por Alonso em relação ao modo de pilotagem na Fórmula Indy. Para quem não se lembra, na quarta-feira passada (17), o condutor espanhol afirmou que não se sentia confortável no cockpit da Dallara-Honda. E isso deve-se porque seu modo de pilotagem sempre foi o mesmo em linha reta.

“Eu corri muito na Europa. E acho que isso é muito útil”, opinou De Ferran. “Eu entendo algumas coisas, algumas tecnologias e processos. Mesmo que eu não tenho trabalhado na F1 por 10 anos, eu não acho que isso será um grande problema para ele”, opinou.

“Quando eu era mais jovem e menos experiente do que Fernando [Alonso], eu pensei em me tornar campeão mundial de F1. Ter o seu nome na Fórmula 1 seria algo muito exposto, então, eu fiz testes para a GP2. Foi uma experiência diferente, pois eu estava pilotando em linha reta. E isso não atrapalhou meu desempenho em pistas ovais”.