“Os carros de 2017 são mais difíceis de pilotar”, diz Ocon

Ocon

O condutor francês fez uma análise sobre a diferença na abordagens dos novos bólidos com os usados na temporada passada. Ele ainda comentou sobre os novos pneus largos da Pirelli.

 

Os carros da temporada de 2017 são mais difíceis de pilotar na pista se comparado com as máquinas usadas no campeonato passado de Fórmula 1. Essa foi a opinião expressa por Esteban Ocon nesta segunda-feira (20). O condutor da Force India fez uma análise sobre o impacto ocorrido por conta das novas regras da F1. E prevê que a questão física será um diferencial para obter resultados na próxima temporada.

“Os carros de 2017 são mais difíceis de pilotar”, afirmou Ocon em entrevista para a revista francesa ‘F1i’. “E eles são mais rápidos também”, continuou. “A sua desaceleração é mais lenta, mas a sua aceleração é maior do que os bólidos do ano passado”, comparou.

Ocon destaca diferença entre os carros usados nas temporadas de 2016 e 2017 de F1

“A tração com os novos pneus [largos] é maior. Então, quando você começa a fazer as curvas, você já nota a aceleração no fim do canto. Outro problema em questão é a ação do vento. Isso é mais forte nos carros por conta da carga aerodinâmica”, explicou.

“Embora seja um pouco complicado falar sobre isso, mas eu acredito que a questão física deverá fazer a diferença nas corridas. Especialmente nas provas mais longas. Os carros se tornaram mais rápidos. E com isso, será necessário maior esforço dentro da pista”, complementou.

Ocon também elogiou a performance dos novos pneus largos da Pirelli. “Eles oferecem maior consistência e aderência”, afirmou. “Você vai poder atacar mais e mais durante as corridas”, continuou.

“Acho que do meu ponto de vista, este é um quesito importante. Com maior tempo de vida, podemos passar mais tempo brigando por posições. O que é algo realmente excitante”.