Renault diz que fabricantes deveriam ser tratadas com destaque na F1

Permane

Presidente da fabricante francesa destacou que os fabricantes tem uma grande importância na categoria.

 

O presidente da Renault Sport Racing, Jerome Stoll, acredita que a nova proprietária da Fórmula 1, a Liberty Media, deveria dar uma atenção especial para as fabricantes de motores. Segundo o dirigente, estas empresas que fabricam propulsores e ainda possuem uma equipe na principal categoria do automobilismo mundial agregam um grande valor e precisam ser consideradas os “principais jogadores”.

Atualmente, a Fórmula 1 conta com quatro fornecedora de motores – Mercedes, Ferrari, Renault e Honda. Das quatro, três possuem equipe própria na categoria, enquanto a Honda tem todas as suas atenções voltadas para a McLaren. Analisando que estas fabricantes se destacam por desenvolverem os propulsores e ainda investirem pesado na manutenção de uma equipe, Stoll acredita que elas deveriam ter mais destaque nas negociações.

Stoll exaltou a importância das fabricantes na F1.

Em entrevista concedida ao site da revista britânica ‘Autosport’, Jerome confirmou que já está em contato com a Liberty Media e crê que a nova proprietária deve manter um bom diálogo com estes times para melhorar o show da F1. “Tivemos algumas discussões [com a Liberty]”, disse. “Nós explicamos que devemos trabalhar juntos para aumentar o show, porque a atratividade do show diminuiu um pouco.”

“Temos de abrir uma nova era com a Liberty, e eles estão realmente dispostos a fazer algo diferente. Eu não sei como isso vai ser, mas queremos ser considerados como os principais jogadores para o show”, continuou o dirigente, que ainda exaltou a importância das fabricantes na F1.

“Sem os fabricantes de carros como Mercedes, Ferrari, Honda e nós mesmos – porque somos os únicos que estão desenvolvendo motores e investindo dinheiro – não vai haver um show. Então, temos que estabelecer um diálogo juntos e ver como podemos atingir nosso alvo”, finalizou.